Designers X Clientes


 Vida de designer e ilustrador não é fácil, muitos já sofreram a falta de valorização do nosso trabalho por parte dos clientes. Propostas absurdas e desculpas ouvidas quase que constantemente em nosso ramo…

Mas por que isso ocorre somente com o design? Por que não em outras profissões, como o cabeleireiro, ou o dentista?

 Esse post relata algumas das situações mais comuns que ocorrem com os designers ao negociar um trabalho. Não se deixe enrolar!

 Abaixo segue um vídeo muito interessante que mostra algumas destas situações, mas em outras profissões e lógico que é incabível!

1) “Faça esse trabalho barato (ou de graça) e no próximo pagaremos melhor”
Nenhum profissional que se preze daria seu trabalho de mãos beijadas na esperança de cobrar mais caro mais tarde. Você consegue imaginar o que um advogado diria se você dissesse “me defenda de graça dessa vez que na próxima vez que eu precisar de um advogado eu te chamo e pago melhor”. Ele com certeza riria da sua cara.

2) “Nós nunca pagamos 1 centavo antes de ver o produto final”
Essa é uma pegadinha. A partir do momento que você foi contratado para fazer o trabalho você DEVE pedir uma entrada. O motivo é simples, você está trabalhando desde o momento que se dispõe a fazer a reunião de briefing. Talvez um cliente mais inexperiente queira pagar após ver alguns esboços. Cabe a você aceitar ou não.

Essa é u3) “Esse trabalho será ótimo para seu portfolio! Depois desse você vai conseguir muitos outros”
ma das mais típicas. E costuma fazer vítimas principalmente entre jovens que ainda estão estudando. Para não cair nessa, basta pensar “quanto o seu cliente vai faturar com o seu trabalho?”. Além disso, não esqueça que, mesmo que ele indique seu trabalho para outras empresas, com certeza ele dirá quanto custou (ou se foi de graça) e imagine o que os próximos irão querer?

4) Olhando para seus estudos e rascunhos: “Veja, não temos muita certeza se queremos seu trabalho. Deixe esses estudos comigo e vou falar com meu sócio/investidor/mulher, etc e depois te dou uma resposta”
Não dou 5 minutos para ele ligar para outros designers com seus estudos e conceitos criados na mão barganhando melhores preços. Quando você ligar de novo ele dirá que seu trabalho está muito acima do mercado, blá blá blá, e que Fulano Designer vai fazer o trabalho. Mas como eles conseguiram outro designer mais barato? Lógico, você já passou o conceito todo criado! Economizou horas para o designer que vai pegar o trabalho. Então, enquanto você não entrar em acordo com seu cliente NUNCA DEIXE NADA CRIATIVO no escritório dele!

5) “Veja, o job não foi cancelado, somente adiado. Deixe a conta aberta e continuaremos dentro de um mês ou dois”
Provavelmente não. Seria um erro você não faturar o que foi feito até o momento esperando que o trabalho continue depois. Ligue em dois meses e você verá que alguém estará trabalhando no job. E adivinhe! Eles nem ao menos sabem quem você é… e o dinheiro do início do trabalho, lógico, já era!

6) “CONTRATO?? Nós não precisamos assinar contratos! Não estamos entre amigos?”
Sim, estamos. Até que alguma coisa dê errada ou ocorra um mal-entendido, e você se transforme no meu maior inimigo e eu sou o seu “designer estúpido”, aí o contrato é essencial! Simples assim! Ao menos que você não ligue em não ser pago. Qualquer profissional usa um contrato para definir como será o trabalho e você deve fazê-lo também!

7) “Envie-me a conta depois que o material for pra gráfica”
Por que esperar por esse deadline irrelevante? Você é honesto, não? Por que você deveria ficar preso a esse deadline? Uma vez entregue o trabalho, fature! Essa desculpa possivelmente é uma tática para atrasar o pagamento. Assim o material vai pra gráfica, precisa de alterações intermináveis e, adivinhe, ele arranja outra pessoa pra fazer as alterações necessárias, o material vai pra gráfica e você nem fica sabendo!

8 ) “O último designer fez esse job por R$ XX “
Isso é irrelevante. Se o último designer era tão bom por que ele te chamou? E quanto o outro cobrava não significa nada pra você. Pessoas que cobram muito pouco pelo seu tempo acabam fadadas ao insucesso (por auto-destruição financeira). Faça um preço justo, ofereça no máximo 5% de desconto e não abra mão disso.

9) “Nosso orçamento para esse job é de XX reais”
Interessante, não? Um cara sai para comprar um carro e sabe exatamente quanto ele vai gastar antes mesmo de fazer uma pesquisa. Uma quantia de trabalho custa uma quantia de dinheiro. Se seu cliente tem menos dinheiro e ainda assim você quer pegar o trabalho, dedique menos horas a ele. Deixe isso bem claro ao seu cliente, que você dedicará menos tempo que o estimado para finalizar o trabalho porque ele não pode pagar por mais horas. A escolha é sua.

10) “Estamos com problemas financeiros. Passe o trabalho para nós e, quando estivermos em melhor situação, te pagamos.”
Claro, mas pode contar que, quando o dinheiro chegar, você estará bem lá no final da lista de pagamentos. Se alguém chega ao ponto de admitir que está com problemas financeiros então provavelmente o problema é bem maior do que parece. Além disso, você por acaso é um banco para fazer empréstimos? Se você quer arriscar, pelo menos peça dinheiro adicional pelo tempo de espera. Um banco faz isso, não faz? Por que provavelmente esse é o motivo deles quererem atrasar seu pagamento, ter 6 meses de dinheiro “emprestado” sem ter que pagar juros, o que não aconteceria se ele tivesse que emprestar do banco. Não jogue dinheiro fora!

Você certamente vai tratar com pessoas muito diferentes de você. As motivações e atitudes certamente são diferentes.

Como lidar com todas essas coisas e ainda assim fazer um trabalho criativo? Boa pergunta! É por isso que ir atrás da informação é importante. Você aprende a trabalhar com todas as técnicas do design, mas não aprende a arte da negociação. Muitos designers ignoram este aprendizado, o que é um grande erro. Sugiro que o mínimo seja incorporado assim certamente você não sentirá seu trabalho como uma grande perda de tempo e dinheiro!

Anúncios

5 comentários sobre “Designers X Clientes

  1. O pior é quando você combina tudo direitinho, tudo indica que vai sair, vc dá o preço e o cliente dá pra trás…

  2. E o governo estúpido não regulariza nossa profissão! Eu mesmo estou largando a carreira autônoma para ser empregado novamente. Estou cansado de clientes ruins e picaretas que só fazem desvalorizar meu trabalho.

    Mas tbm não podemos esquecer dos empregadores que também desvalorizam às vezes nosso trabalho.

    Quem aqui nunca ouviu esta:
    Empregador: “O salário é R$800,00 (valor extremamente baixo) mas daqui 3 meses a gente aumenta”
    AHAM eu acredito muito!

    Ou então essa:
    Empregador: “Então você vai criar e finalizar os arquivos e quando não tiver serviço você vai fazer uns serviços de rua.”
    Não vou nem falar que esses me dão vontade de voar no pescoço deles.

    Ou ainda essa:
    Empregador: “Olha o horario de entrar é as 9:00 hrs mas vc sabe, a demanda é muito grande e as vezes a gente fica um pouco mais
    Vc: Ah tudo bem fazer hora extra.
    Empregador: Só que não pagamos as horas extras”
    Ei! Trabalho escravo ja era… acorda amigo!

    Resumindo… ser designer nessas horas é uma merda!

  3. Isto não acontece só com designers ou ilustradores. Nunca viu alguém ir ao dentista e depois de meia hora de serviço o cliente exclamar tipo assim: Nossa! Tudo isso $_$ ?!! Mas ele não fez quase nada na minha boca! Na maioria desses casos, o cliente fala isto simplesmente porque não entende nada do serviço e não sabe qual é o real valor agregado. Mais: clientes assim são, em sua maioria, de baixa classe, daquelas que não qualquer centavo é precioso pra ela. A mesma coisa é o que acontece com tantos designers, principalmente em inicio de carreira. Porém, com designers é ainda pior, visto que praticamente ninguém entende nada de design, tampouco sabem como isto funciona, quais os conhecimentos envolvidos, e qual o seu valor.
    Na verdade, tudo o que é arte é difícil e exige muita estratégia além da competência do profissional, especialmente porque é uma coisa que funciona mais com o subconsciente das pessoas, ou seja, elas SENTEM E PERCEBEM QUE ARTE FAZ A DIFERENÇA, MAS NÃO ENXERGAM O QUE FAZ ESTA DIFERENÇA NEM SABEM COMO.
    Quem entende de arte enxerga qualquer valor estético, identifica uma arte e vê o seu valor rapidamente. Mas quem não entende (a maioria) não vê. E quem sai prejudicado é o coitado do designer.
    Portanto, se estamos num lugar onde o cliente é do tipo que não entende nada de estética, de design, ilustração ou qualquer arte visual, certamente vai ser uma perda de tempo para o designer. É por isso que digo q para um designer ser bem sucedido na vida ele precisa ter conexões com clientes de alta classe e gente bem dotada, como no caso de grandes empresas que dependem de comerciais bem qualificados. Esta gente costuma pelo menos ter noção de arte.
    Outra coisa que atordoa os artistas das imagens: no senso comum (pelo menos do nosso país) o desenho e trabalhos relacionados estão equivocadamente associados a infantilidade. Enquanto isso, entendo que na verdade isto acontece porque esta arte se faz presente na vida do ser humano mais do que ele imagina.
    Pra terminar, digo ainda que, infelizmente, uma sociedade que carece de boa educação artística tende a dificultar a vida de qualquer tipo de profissional que venha a depender disso. Temos Educação Artística nas escolas? Temos mesmo? Será? Adquirir noções de Física, Química, Biologia etc já é um saco. Imagine se iam mesmo pressionar alunos em educação artística…

    Abraço e sucesso!

  4. Uma vez certo cliente achava que meu serviço de programador era fácil. E ainda por cima era do tipo que superestimava o trabalho dele. Ele nem sequer sabia o que um programador fazia. E o pior é que não sabia que se ele quisesse, podíamos trocar de lugar por apenas uma ou duas semanas e ver quem se adpataria mais no lugar do outro. Se ele precisasse trabalhar como programador no meu lugar, poderia enlouquecer logo no primeiro ou segundo dia. Enquanto isso, no serviço simples que ele exercia tenho certeza que eu ia aprender rapidinho. Vê como é triste a realidade? Este tipo de cenário a gente que é inteligente tem que aguentar a ignorância calado.
    Tem gente que fala que programador de software por exemplo só escreve. Pensar desta forma é igual pensar que resolver um problema de matemática no vestibular é só escrever os números lá no papel.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s